segunda-feira, 24 de junho de 2013

Das conversas que nunca tivemos

As almas têm recuperado o tempo perdido.
Elas se entendem, se amam e estão felizes.
Uma merda não ter sido antes,
mas é bom ver que conseguimos evoluir pelo amor.
Ele precisava de provas, e teve.

É incondicional, é pra sempre.
Mais um encontro feliz.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Foto Imaginária

Eu e a Rafa estávamos conversando sobre
um amigo que está com os pais em Cancún e ela disse: 
"Eu também estou aqui com meus pais, vamos tirar uma foto!"
Passou um braço por cima do meu ombro,
o outro por cima do ombro que não vemos e disse para
olharmos para a frente e sorrirmos.
Eu olhei para ELES e fiz a foto, muito feliz.
Estamos juntos, enfim.
Não do jeito que eu esperava, mas do jeito que é.
Casualmente depois começou um programa sobre uma médium 
que falava com os mortos. 
É...eles estão mesmo aqui, só que em outro plano.
Não ouço, não vejo (a não ser em sonhos),
mas tenho sentido cada dia mais. 
E não é uma presença perturbadora ou triste,
é uma presença consoladora, que me motiva a sorrir para a vida.
Finalmente.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Restaram os sonhos!

A noite passada ganhei cafuné de mim mesma para dormir.
Nunca gostei de fazer cafuné, mas sei...
era ele me consolando, mais uma vez.
Quando peguei no sono, a gente se encontrou.
E é como sempre foi.
Nos sonhos a gente sempre se entendeu bem.
Nos sonhos é tudo como era,
como nunca deveria ter deixado de ser.
Nos sonhos a mágoa e a raiva não existem...
só o amor, que é pra sempre.
E de novo, neste terceiro sonho depois da morte,
sei que ele não tá vivo, e ele parece saber também.
Nos abraçamos e nos amamos,
como se entendêssemos que agora tem que ser assim.
Ele me olha como quem entendeu que foi bobo
e eu não me importo, perdoo a bobice,
agradeço pelo momento maravilhoso
e me sinto feliz, muito feliz.

O que é real?
O que se sente.